Perdendo o cabaço com o amigo

Conhecia o Claudio a bastante tempo, jogávamos futebol juntos e nossas famílias se relacionavam com frequência. Nunca tinha demonstrado que tinha preferências homossexuais. Uma tarde de sábado, após o futebol fomos tomar banho no vestiário após a resenha, a galera toda já havia saído, só restava nós dois.

Entrei no chuveiro, comecei me ensaboar meus tornozelos, daquele jeito, curvado com as mãos nos tornozelos, de costas para fora… Quando olho para trás, percebo o Claudio manjando meu anel, o safado ainda soltou essa: “Juan, que cuzinho apertadinho, desculpa, mas não deu para não olhar!”, quando olho para sua mão que segurava a toalha, percebo uma rola pulsando, na mesma hora meu cuzinho piscou.

Claudio percebeu, minha reação, retirou a toalha, seu pau era lindo, não muito grande, uns 15 cm, veias saltavam… Tentei desviar o olhar e não consegui. Claudio dizia, para eu pegar, ninguém iria saber, o clube estava vazio, não resisti, meio sem graça esbarrei em sua pica, ele sentou, abriu as pernas e disse: “Vem!”

Me ajoelhei e comecei a mamar sua rola, limpinha e cheirosa, me coloquei de lado e lhe ofereci meu anel, Claudio me tocava enquanto eu mamava, o tesão estava a mil. Pedi para irmos para um motel, disse que nunca tinha dado e tinha medo de gemer alto. Nos vestimos e saímos.

Deixei meu carro, no Parkshopping e fomos para o motel Espigão… Chegando lá, Claudio foi atencioso, tirou minha roupa, mamou minha rola dura enquanto alargava meu cuzinho, me colocou de quatro na beirada da cama, iniciou uma deliciosa linguada, minhas pregas piscavam em sua língua áspera, em todo momento dizia que se eu quisesse ele paparia, parecia fazer para provocar, sabia que eu queria e como queria ele me enrabando!

Não aguentei de tesão, e falei: “Mete Claudio, me come, me faz de puta!”. Ele então começou a me penetrar, eu gemia, sentia dor mas queria mais rola.
Claudio enfiou tudo, rebolei gostoso com meu amigo dentro de mim… Me sentia uma puta, realizada, meu macho socando e gemendo, a intensidade foi aumentando, Claudio anunciou que iria gozar, pedi para tirar a camisinha e gozar em minha bunda, senti o primeiro jato grosso e quente escorrendo em minha bunda, que delícia.

Descansamos um pouco, conversamos sobre o que tinha acontecido, Claudio confessou que era versátil, já saía com homens a algum tempo e sempre quis dar para mim. Depois marcamos em outras ocasiões, hoje somos ainda mais amigos e completa um ano que somos amantes!

Uma resposta para “Perdendo o cabaço com o amigo”

  1. Sou homem gay, procuro grupo de machos ativos para me estuprar sem dó de verdade. Podem me dominar e fazer TUDO que quiserem comigo, mesmo se eu pedir pra parar e precisar ser à força. Local em Campinas SP

    Tenho contato whatsapp, vídeos e fotos em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *